Skip to main content

Atividades

 

O Programa de Educação Tutorial – PET –, foi criado para apoiar atividades acadêmicas que integrem ensino, pesquisa e extensão, sob o princípio da indissociabilidade. O objetivo do Programa é formar o discente para além do espaço da sala de aula, compreendendo-o como ator social atuante no contexto histórico-cultural e político da realidade a qual pertence.

Sendo assim, neste semestre o grupo de petianos do curso de História do Pontal propôs-se a desenvolver um trabalho de ensino e extensão cuja proposta consiste em promover um espaço de diálogo e construção de políticas afirmativas em defesa da equidade que contemplem as diferenças étnico-racial e culturais inerentes ao processo histórico de formação da sociedade brasileira. O evento tem como título: "Em diálogos: experiências étnico-culturaisacontecerá na Faculdade de Ciências Integradas do Pontal nos dias 24 e 25 de novembro de 2016.

O objetivo do evento consiste em refletir acerca da temática título, com vistas a dialogar sobre educação intercultural crítica, tendo como possibilidade a construção ações emancipatórias a partir de experiências cotidianas enuciadas a partir de diferentes vozes e lugares.

Este evento busca referências no pensamento descolonial, uma vez que considera suas proposições inspiradoras para o processo de aprender a pensar e agir, bem como recuperar saberes e fazeres dispersos e subalternizados na lógica que se tornou aparentemente hegemônica na sociedade contemporânea. Dentre as perspectivas previstas na programação do evento, pretende-se abordar a concepção de interculturalidade crítica, por meio da qual espera-se: aprender a ouvir, reconhecer e respeitar lugares de fala e experiências étnicos culturais de sujeitos marginalizados, "subalternizados", provenientes de diferentes segmentos sociais/histórico/culturais.
Portanto, dentre as atividades previstas, ressalta-se como objetivo central pensar possibilidades de descolonização de conhecimentos a partir de diálogos com diferentes vozes subalternizadas, estimular iniciativas e ações entre os diversos projetos críticos políticos/éticos/epistémicos, que apontam para um mundo pluriversal e não a um mundo universal.
Esse encontro tem duração de dois dias, o primeiro (24/11/26) ocorrerá no espaço da academia (FACIP/UFU), momento profícuo para problematizarmos a condição deste espaço enquanto local de reprodução de saberes que sustentam relações de poder globais no âmbito do “sistema mundo europeu/euro-norte-americano moderno/capitalista colonial/patriarcal” (Grosfoguel,2008).
O segundo momento (25/11/2016) acontecerá em um acampamento de sem-terra (município de Gurinhatã, MG.), pois, reconhecemos a importância, sobretudo de comunidades marginalizadas pelas relações de poder globais, como espaço de formação política e de organização coletiva cotidianos articulados para o enfrentamento dos desafios diários.

Este evento busca referências no pensamento descolonial, uma vez que considera suas proposições inspiradoras para o processo de aprender a pensar e agir, bem como recuperar saberes e fazeres dispersos e subalternizados na lógica que se tornou aparentemente hegemônica na sociedade contemporânea. Dentre as perspectivas previstas na programação do evento, pretende-se abordar a concepção de interculturalidade crítica, por meio da qual espera-se: aprender a ouvir, reconhecer e respeitar lugares de fala e experiências étnicos culturais de sujeitos marginalizados, "subalternizados", provenientes de diferentes segmentos sociais/histórico/culturais.

Portanto, dentre as atividades previstas, ressalta-se como objetivo central pensar possibilidades de descolonização de conhecimentos a partir de diálogos com diferentes vozes subalternizadas, estimular iniciativas e ações entre os diversos projetos críticos políticos/éticos/epistémicos, que apontam para um mundo pluriversal e não a um mundo universal.

Esse encontro tem duração de dois dias. O primeiro, 24/11/2016, ocorrerá no espaço acadêmico (FACIP/UFU), momento profícuo para problematizarmos a condição deste espaço enquanto local de reprodução de saberes que sustentam relações de poder globais no âmbito do “sistema mundo europeu/euro-norte-americano moderno/capitalista colonial/patriarcal” (Grosfoguel,2008). O segundo momento ,25/11/2016, acontecerá em um acampamento de sem-terra (município de Gurinhatã -MG), pois, reconhecemos a importância, sobretudo de comunidades marginalizadas pelas relações de poder globais, como espaço de formação política e de organização coletiva cotidianos articulados para o enfrentamento dos desafios diários. 

 

 

 

 


 

 

De 03 a 05 de outubro de 2016, no Auditório III da Faculdade de Ciências Integradas do Pontal, acontecem as atividades do III CICLO DE DEBATES SOBRE MINORIAS SOCIAIS, realizadas pelos Programas de Educação Tutorial - PET´s.